segunda-feira, 10 de setembro de 2012

As duas testemunhas do Apocalipse



              As duas testemunhas reveladas no Velho e no Novo Testamento
             
Introdução –
A palavra testemunha, segundo o Dicionário Lello, significa “pessoas que testemunha em justiça, as juram dizer a verdade”, (...)  “Testemunha ocular ou de vista, que viu ou presenciou um fato”. Por isto que Jesus, depois que ressuscitou ao terceiro dia, comissionou os seus discípulos para serem testemunhas de tudo que eles presenciaram, desde o batismo de Jesus no Rio Jordão, até o dia que Ele foi assunto ao céu diante de dois varões ou duas testemunhas celestiais. Como está escrito assim: “At 1.1-8  Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo que Jesus começou, não só a fazer, mas a ensinar até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera; aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. (...) Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra”. Jesus só comissionou os seus discípulos para serem suas testemunhas, porque viram os feitos milagrosos, a Sua ressurreição e Sua ascensão ao céu.

              As duas testemunhas reveladas no Velho Testamento

              No Velho Testamento. Segunda a Palavra de Deus, qualquer fato tem valor legal quando testemunhado por duas ou três testemunhas, a saber: “Por boca de duas testemunhas, ou três testemunhas, será morto o que houver de morrer; por boca de uma só testemunha não morrerá. As mãos das testemunhas serão primeiro contra ele, para matá-lo; e depois as mãos de todo o povo; assim tirarás o mal do meio de ti”. Dt 17:6-7 (...) “Eis que também agora a minha testemunha está no céu, e nas alturas o meu testemunho está”.  Jó 16:19. (...) “E, respondendo-lhe outra vez, disse: Que são aqueles dois ramos de oliveira, que estão junto aos dois tubos de ouro, e que vertem de si azeite dourado? E ele me falou, dizendo: Não sabes tu o que é isto? E eu disse: Não, senhor meu. Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra”. Zc 4:12-14.

              As duas testemunhas reveladas no Novo Testamento

              No Novo Testamento. Disse Jesus: “Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte, e transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias” Mt 17.1-4. (...) “Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada”. Mt 18:16 (...) “É esta a terceira vez que vou ter convosco. Por boca de duas ou três testemunhas será confirmada toda a palavra”.  2ª Co 13:1. (...) “E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra”. Ap 11:3-4.  Como vemos acima só é testemunha quem viu os fatos, como Moisés e Elias no V. T. e, os apóstolos Pedro, Tiago e João que viram Moisés e Elias na transfiguração no monte Santo, e na assunção de Jesus (At 1.8-13). Portanto, Enoque não pode ser testemunha porque não viu os fatos que aconteceram com Israel no Velho Testamento e, também, não apareceu com Moisés e Elias no monte da transfiguração.

              Elias virá antes que venha o grande dia do SENHOR 

              Está profetizado que Elias virá antes que venha o grande dia do SENHOR, assim:
              “Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo.Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o SENHOR dos Exércitos. Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, que lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos. Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR; E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição. Ml 4.1-6

              Elias é uma das duas testemunhas.

              Elias foi também trasladado para o céu à vista do profeta Eliseu. 2ª Reis 2.6-14.
              “ (...) E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem então os escribas que é mister que Elias venha primeiro? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas”. (Ml 4.1-6; Mt 17.5-11). Por isto que ele apareceu no monte da transfiguração com Moisés (Mt 17.1-4).

              Moisés é outra das duas testemunhas. 

              O corpo de Moisés não foi encontrado na sepultura porque foi trasladado para o céu. Dt 34.5-6. “Assim morreu ali Moisés, servo do SENHOR, na terra de Moabe, conforme a palavra do SENHOR. E o sepultou num vale, na terra de Moabe, em frente de Bete-Peor; e ninguém soube até hoje o lugar da sua sepultura” (...)  (Jo 11.25-26).Ninguém encontrou o lugar da sepultura de Moisés, porque o seu corpo foi trasladado para o céu. Por isto que o diabo contendeu a respeito do corpo de Moisés com o Arcanjo Miguel, por causa da lei do pecado que é da morte Rm 8.2. (Gn 2.15-17; 3.17-19; Rm 5.12; 6.23), conforme muito bem registrou Judas irmão de Tiago, assim: “Jd v9 Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda”. Só assim, é que Moisés pode aparecer no Monte da Trnasfiguração com corpo, igualmente, ao de Elias. (Mt 17.1-4)

              As duas testemunhas reveladas no Novo Testamento

              Só no Livro do Apocalipse Jesus revelou as duas testemunhas, assim: “ Ap 11.3-4. E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra” (...) E, quando acabarem o seu testemunho, a besta que sobe do abismo lhes fará guerra, e os vencerá, e os matará. E jazerão os seus corpos mortos na praça da grande cidade que espiritualmente se chama Sodoma e Egito, onde o seu Senhor também foi crucificado. Ap 11.7-8. (...) “E depois daqueles três dias e meio o espírito de vida, vindo de Deus, entrou neles; e puseram-se sobre seus pés, e caiu grande temor sobre os que os viram. E ouviram uma grande voz do céu, que lhes dizia: Subi para aqui. E subiram ao céu em uma nuvem; e os seus inimigos os viram”. Ap 11.11-12.

              Moisés e Elias aparecem no monte da transfiguração com Jesus.

              Segundo o Evangelho conforme escreveu Mateus, Moisés e Elias apareceram, igualmente,  com corpos semelhantes no monte da transfiguração, como as duas testemunhas do plano de Deus Pai, através do cumprimento das Escrituras, na Lei e nos profetas, sobre a morte de cruz do Seu Filho amado Jesus, e Sua glorificação, assim:

                “(...)Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte, E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias”. Mt 17.1-4 “E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu amado Filho, em quem me comprazo; escutai-o. E os discípulos, ouvindo isto, caíram sobre os seus rostos, e tiveram grande medo”. E, aproximando-se Jesus, tocou-lhes, e disse: Levantai-vos, e não tenhais medo. E, erguendo eles os olhos, ninguém viram senão unicamente a Jesus. E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: A ninguém conteis a visão, até que o Filho do homem seja ressuscitado dentre os mortos”.

              As duas testemunhas representam a Lei e os Profetas

              Essas duas testemunhas representam a Lei e os Profetas para Israel, por isto, é que vão testemunhar para o remanescente de Israel e dos gentios durante a metade da tribulação, provando pelo cumprimento das Escrituras do Velho Testamento, que Jesus Cristo é o Messias, o Senhor e Rei dos Reis. Aí então eles crerão como está previsto nas Escrituras, a saber: Zc 12.4-14;  13.1-9; 14.1-11. Será da mesma maneira como disse Jesus aos discípulos no caminho de Emaús, assim: “(...) E Jesus lhes disse: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!  26 Porventura, não convinha que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória?  27 E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras”. Lc 24.25-27.

              AS DUAS OLIVEIRAS À DREITA E À ESQUERDA DO CASTIÇAL DE OURO

              “E disse-me: Que vês? E eu disse: Olho, e eis que vejo um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite no seu topo, com as suas sete lâmpadas; e sete canudos, um para cada uma das lâmpadas que estão no seu topo. E, por cima dele, duas oliveiras, uma à direita do vaso de azeite, e outra à sua esquerda”  Zc 4.2-3. (...) Respondi mais, dizendo-lhe: Que são as duas oliveiras à direita e à esquerda do castiçal? E, respondendo-lhe outra vez, disse: Que são aqueles dois ramos de oliveira, que estão junto aos dois tubos de ouro, e que vertem de si azeite dourado? E ele me falou, dizendo: Não sabes tu o que é isto? E eu disse: Não, Senhor meu. Então ele disse: Estes são os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a terra”. (Zc 4.11-14). (...) Aqui Jesus identifica as duas oliveiras como os dois ungidos que estão diante do Senhor de toda terra, assim: “E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra”.  Ap 11.4)

              OS  MINISTÉRIOS IDENTIFICAM AS  DUAS TESTEMUNHAS

              De ELIAS – E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco.  (Zc 4; Ap 11.3-4) E, se alguém lhes quiser fazer mal, fogo sairá da sua boca, e devorará os seus inimigos; e, se alguém lhes quiser fazer mal, importa que assim seja morto. Estes têm poder para fechar o céu, para que não chova, nos dias da sua profecia; (I Rs 18;   Ap 11.5-6ª)

              De MOISÉS – Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra. (...) e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem. (Gn 7.19-25;10; 11; Zc 4.Ap 11.6b)

              Considerações finais. Tendo em vista que só pode ser testemunha quem viu e presenciou os fatos ocorridos, conforme prescreve a Palavra de Deus tanto no Velho como no Novo Testamento, (Dt 17.6-7),  é que tem autoridade de testemunhar tudo o que se cumpriu a respeito de Jesus Cristo, como Jesus disse aos seus dois discípulos no caminho de Emaús, assim: “(...) v25 E Jesus lhes disse: Ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!  v26 Porventura, não convinha que o Cristo padecesse essas coisas e entrasse na sua glória?  v27 E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras”. Lc 24.25-27. (...) “E darei poder às minhas duas testemunhas, e profetizarão por mil duzentos e sessenta dias, vestidas de saco. Estas são as duas oliveiras e os dois castiçais que estão diante do Deus da terra. (...) e têm poder sobre as águas para convertê-las em sangue, e para ferir a terra com toda a sorte de pragas, todas quantas vezes quiserem. (Gn 7.19-25;10; 11; Zc 4.2-14; Ap 11.6b)
              As características dos ministérios das duas testemunhas identificam que uma é  Elias, e a outra é Moisés, conforme operaram as mesmas maravilhas no Velho Testamento. (Pr Djalma Pereira) 

3 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.

Djalma Pereira disse...

Prezado ir Antônio Batalha, fico muito feliz pelo seu bondoso comentário, que me incentiva a continuar neste propósito, segundo a vontade de Deus
Envio-lhe meu abraço fraternal em Cristo Jesus
Grato pela atenção. Pr Djalma

Djalma Pereira disse...

Prezado ir Antônio Batalha, fico muito feliz pelo seu bondoso comentário, que me incentiva a continuar neste propósito, segundo a vontade de Deus
Envio-lhe meu abraço fraternal em Cristo Jesus
Grato pela atenção. Pr Djalma