quarta-feira, 29 de abril de 2009

A IDOLATRIA É UMA FALSA ADORAÇÃO

I - IDOLATRIA

Definição - O que é idolatria? Essa palavra vem do grego, eldolon, ou "ídolo", e latreuein, ou "adorar", que quer dizer, primariamente, venerar a ídolos ou imagens. Em sentido mais amplo, também, quer dizer adoração ou veneração a qualquer objeto, pessoa, instituição, ambição, etc., que tome o lugar de Deus, ou que diminua a honra que lhe é devida.

i. Desvia da verdadera adoração ao único Deus. Porque "o estado mental dos idólatras é radicalmente incompatível com a fé verdadeira, monoteísta, em espírito e em verdade". (Jo 4.22-24). A idololatria é malígna porque seus devotos em vez de porem sua fé e confinaça em Deus, depositam em algum objeto inanimado, inconciente, fabricado pelo artifício e imaginação humana. Usam certos elementos da natureza em lugar da divindade e usurpam a posição que somente cabe a Deus. (Rm 1.21-25).

ii. Os ídolos e imagens. Qualquer ídolo, imagináriamente, pretende representar uma "divindade", ou então, é aceito como se tiveesse qualiades divinas por si mesmo. Quando, tais imagens são "veneradas", representando grandes mestres, divindades da natureza, nos deuses mitológicos como "espíritos", então, esses tipos de objetos - ídolos - e todo tipo de representação material - imagens - passam a ser adorados. As religiões da Babilônia, do Egito, da Índia, da China, etc, criam que "um deus ou espírito podia residir em algum objeto material ou animal". No hinduismo e no budismo eles adoram as próprias pessoas ou mestres como divindades evoluídas, fazendo essa diferença nas castas religiosas.

II - A FALSA ADORAÇÃO.

i. Tipos de idolatrias. Adoração a imagens, (Is 44.17); oferecimento de sacrifícos a imagens (106.38; At 7.41), adoração a deuses falsos (Dt 30.17; Sl 81.9), adoraão a denômios (Mt 4.8; 1ª Co 10.20), adoração aos espíritos dos mortos (Sl 106.28), adoração a imagem representando a divinidade (Rm 1.23), a adoração aos corpos celeses (Dt 4.19).

ii. Qualificaçõs bíblicas da idolatria. A idolatria é uma abominação (Dt 7.25), é odiosa a Deus (Dt 16.22), é vã e tola (Sl 115.4-8), é destituída de proveito (Jz 10.14; Is 46.7), é irracional (At 17.29; Rm 1.21-23, é contaminadora (Ez 20.7; 36.18).

iii. Textos bíblicos sobre a idolatria. Os ídolos e as imagens de escultura são deuses estranhos (Gn 35.2), são deuses fundidos (Êx 34.17, são imagens de escultua (Is 45.20), são mudos (Hb 2.18; 1ª Co 12.2), são abonmináveis (Is 44.19), são como nada (Is 42.24; 1ª Co 8.4), são motivos de festividades carnais, orgias e bebedices, ( 1ª Co 10.7), são vaidades (Jer 18.15).

iv. O Juizo de Deus para os idólatras. A morte judicial (Dt 17.2-5), o banimento (Jr 8.3; Os 8.5-8) a exclusão do reino de Deus, (1ª Co 6,9,10; Ef 5.5; Ap 22.15), o julgamnto na eternidade (Ap 14.9-11; 21.8).

v. Controvésias sobre a Iconografia ou imagem. Esta palavra deríva-se do grego "eikon" ou imagem, semelhança, retrato, é um termo clássico usado por algumas igrejas cristãs, para efeito de decoração e veneração. O uso de imagens e outras representações de Cristo, da Virgem Maria e dos "santos" causaram grandes controvérsias nas Igrejas Ocidental e Oriental durane o período de 726 a 843 d.C. Os imperdores Leão III, Constatino V, Leão V, Miguel II e Teófilo perseguiram os cristãos idólatras por causa da venração a imagens nos templos cristãos. O imperador Leão III, o Isáurio, ordenou que as imagens fossem removidas dos templos cristãos e dos edifícios públicos. Constantino I também se opoês ao uso de toda espécie de imagem, o qual foi apoiado pelo sínodo de Heria, em 754 d.C., definindo que "a reverência prestada a qualquer tipo de ídolo era considerada uma idolatria". Houve, entretanto, outro movimento a favor da idolotraria nas "igrejas cristãs", apoiado por João Damasceno (675-749 d.C.), e o imperador Leão IV, (de 775 a 780 d.C.), que relaxou a perseguição contra os que veneravam imagens. Aproveitando esta mudança em favor da idolatria, a Imperatriz Irene (em 787 d.C.) convocou o segundo Concílio Ecumênico em Nicéia, presidido pelo patriarca Tarásio, para manter a idolatria fazendo a diferença entre a adoração e a veneração. Assim a adoração e a veneração às imagens passaram para o cristianismo apóstota. A adoração e a veneração nas "igrejas cristãs" Ocidental e Oriental, tem sido um grande escândalo para o verdadeiro cristianismo bíblico, que, entretanto, por mercê de Deus, foi repelido pela Reforma Protestante, e, a partir daí, as igrejas evangélicas, não as fazem, não as adoram e nem as veneram.

vi. Paralelismo bíblico da promotora da idolatria - "Jezabel". Como foi no Velho Testamento, (1ª Reis 18.16-40), assim se repetiu, também, no cristianismo apóstata, a profecia apocalíptica na figura da mulher "Jezabel a profetisa", que ensinou e introduziu a prostituição e a idolatria na igreja em Tiatira, como esta escrito, assim: Ap 2.20-21. "Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa; ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos; e dei-lhe tempo para que se arrependesse; e ela não quer arrepender-se da sua prostituição".

III - O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE A IDOLATRIA?

a) A Bíblia diz no primeiro e segundo mandamento do decálogo: Êx 20.1-5, 1 Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: 2 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. 3 Não terás outros deuses diante de mim. 4 Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.


b) A Bíblia diz que "os ídolos não falam, não vêem, não ouvem, não cheram, não apapam, e nem andam", portanto são inertes, inanimados e inúteis, a saber:

Inutilidade dos ídolos. Sl 115.2-8. 2 "Por que perguntariam as nações: Onde está o seu Deus? 3 Mas o nosso Deus está nos céus; ele faz tudo o que lhe apraz. 4 Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos do homem. 5 Têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não vêem; 6 têm ouvidos, mas não ouvem; têm nariz, mas não cheiram; 7 têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. 8 Semelhantes a eles sejam os que fazem, e todos os que neles confiam".

c) A Bíblia denuncia a loucura e a cegueira espiritual de quem faz e adora imagens de escultura:

A indústria da idolatria - Is 44.9-20. "Todos os artífices de imagens esculpidas são nada; e as suas coisas mais desejáveis são de nenhum préstimo; e suas próprias testemunhas nada vêem nem entendem, para que eles sejam confundidos. 10 Quem forma um deus, e funde uma imagem de escultura, que é de nenhum préstimo? 11 Eis que todos os seus seguidores ficarão confundidos; e os artífices são apenas homens; ajuntem-se todos, e se apresentem; assombrar-se-ão, e serão juntamente confundidos. 12 O ferreiro faz o machado, e trabalha nas brasas, e o forja com martelos, e o forja com o seu forte braço; ademais ele tem fome, e a sua força falta; não bebe água, e desfalece. 13 O carpinteiro estende a régua sobre um pau, e com lápis esboça um deus; dá-lhe forma com o cepilho; torna a esboçá-lo com o compasso; finalmente dá-lhe forma à semelhança dum homem, segundo a beleza dum homem, para habitar numa casa. 14 Um homem corta para si cedros, ou toma um cipreste, ou um carvalho; assim escolhe dentre as árvores do bosque; planta uma faia, e a chuva a faz crescer. 15 Então ela serve ao homem para queimar: da madeira toma uma parte e com isso se aquenta; acende um fogo e assa o pão; também faz um deus e se prostra diante dele; fabrica uma imagem de escultura, e se ajoelha diante dela. 16 Ele queima a metade no fogo, e com isso prepara a carne para comer; faz um assado, e dele se farta; também se aquenta, e diz: Ah! Já me aquentei, já vi o fogo. 17 Então do resto faz para si um deus, uma imagem de escultura; ajoelha-se diante dela, prostra-se, e lhe dirige a sua súplica dizendo: Livra-me porquanto tu és o meu deus. 18 Nada sabem, nem entendem; porque se lhe untaram os olhos, para que não vejam, e o coração, para que não entendam. 19 E nenhum deles reflete; e não têm conhecimento nem entendimento para dizer: Metade queimei no fogo, e assei pão sobre as suas brasas; fiz um assado e dele comi; e faria eu do resto uma abominação? ajoelhar-me-ei ao que saiu duma árvore? 20 Apascenta-se de cinza. O seu coração enganado o desviou, de maneira que não pode livrar a sua alma, nem dizer: Porventura não há uma mentira na minha mão direita?

d) A Bíblia diz "que nada sabem os que conduzem suas imagens de escultura em procissão":

Os ídolos inertes, segos e mudos são carregados em procissão. Is 45.20. "Congregai-vos, e vinde; chegai-vos juntos, os que escapastes das nações; nada sabem os que conduzem em procissão as suas imagens de escultura, feitas de madeira, e rogam a um deus que não pode salvar. (...) Is 46-6-7, 6 Os que prodigalizam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças, assalariam o ourives, e ele faz um deus; e diante dele se prostram e adora, 7 Eles o tomam sobre os ombros, o levam, e o colocam no seu lugar, e ali permanece; do seu lugar não se pode mover; e, se recorrem a ele, resposta nenhuma dá, nem livra alguém da sua tribulação".

e) Jesus expulsou Satanas que quiz adoração em lugar de Deus, pois, este é seu o propósito, desde o princípio, por meio da idolatria:

Satananás, o pai da idolatria, que ser adorado em lugar de Deus. Mt 4.8-11. 8 "Novamente o Diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; 9 e disse-lhe: Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares. 10 Então ordenou-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. 11 Então o Diabo o deixou; e eis que vieram os anjos e o serviram".

f) O Anjo do Senhor rejeita a adoração do apóstolo João e manda-lhe adorar, somente, a Deus:


A verdadeira adoração deve ser dada somente a Deus. Ap 19.10. Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.

g) A Bíblia define a posição eterna dos idólatras, no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte:

A morada eterna dos idólatras, é o lago de fogo e enxofre. Ap 21.8. Mas, quanto aos medrosos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos adúlteros, e aos feiticeiros, e aos idólatras, e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago ardente de fogo e enxofre, que é a segunda morte. Ap 22.15. Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo o que ama e pratica a mentira.

h) Os cristãos não precisam de ídolos mudos como mediadores, pois, o Deus vivo, oniciente e onipresente sempre nos ouve:

Deus sempre nos ouve e não precisa da intermediação dos ídolos. 1ª Jo 5.14, " E esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve". 1ª Co 12.2. "Vós sabeis que, quando éreis gentios, vos desviáveis para os ídolos mudos, conforme éreis levados".

Conclusão. A idolatria desvia o verdadeiro alvo da adoração "em espírito e em verdade" (Jo 4.22-24), que deve ser dada ao verdadeiro e único Deus que é Espírito, e que não precisa de outros mediadores para adorá-Lo. (1ª Tm 2.5). Por isto que o apóstolo João disse: 1ª Jo 5.21. Filhinhos, guardai-vos dos ídolos. Amém.

Nenhum comentário: